Área reservada

Esqueceu a sua palavra-passe? clique aqui

Cancelar

Registo de utilizador

DIABETES: PRINCIPAIS SINTOMAS E MEDIDAS DE CONTROLO

DIABETES: PRINCIPAIS SINTOMAS E MEDIDAS DE CONTROLO

A Diabetes é uma doença crónica que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar (glicose) no sangue e pela incapacidade do organismo em transformar toda a glicose proveniente dos alimentos, que, se não for devidamente tratado, pode provocar danos em diversos órgãos. A quantidade de glicose no sangue chama-se glicemia e quando esta aumenta, diz-se que o doente está com hiperglicemia. A principal causa da diabetes é a má alimentação, especialmente o consumo excessivo de alimentos açucarados, industrializados e a falta de exercício físico. Existem várias manifestações desta doença, que podem surgir em períodos distintos da vida: a Diabetes tipo 1 (DM1), Diabetes tipo 2 (DM2) e Diabetes Gestacional. Diabetes mellitus tipo 1: é uma doença "autoimune" e caracteriza-se pela incapacidade do pâncreas produzir insulina por destruição completa das células que fabricam esta hormona. Sintomas:- Boca seca e sede constante- Vontade constante em urinar- Cansaço e visão turva- Aumento do apetite- Perda de peso Diabetes mellitus tipo 2: existe uma perda progressiva da eficácia da insulina, também designada de "resistência à insulina". A diminuição anormal e progressiva da produção de insulina por parte do pâncreas, faz com que o organismo produza menos insulina. Sintomas:- Aumento da frequência urinária (que se torna mesmo muito frequente): isto resulta da tentativa de os rins eliminarem o excesso de glucose (açúcar) na corrente sanguínea- Muita sede, causada pelo próprio açúcar e pelo aumento da frequência urinária, pois o corpo irá “pedir” para repor os líquidos perdidos- Cansaço: enquanto efeito da desidratação- Visão turva: os níveis de açúcar descontrolados podem originar a infiltração de um fluido nos olhos Diabetes gestacional: surge durante a gravidez e desaparece após o parto. Caso se mantenha depois do nascimento do bebé, trata-se de uma diabetes tipo 2, e não uma diabetes gestacional.As mulheres que tiveram diabetes gestacional têm um risco elevado de vir a ter uma diabetes tipo 2 mais tarde na vida, pelo que devem ser particularmente cuidadosas com o acompanhamento médico ao longo da vida. Sintomas:A diabetes gestacional não apresenta qualquer sintoma. As análises de rotina da gravidez são a única forma de detetar, pelo que é muito importante um acompanhamento médico desde que saiba que está grávida. Que medidas pode adotar para controlar da melhor forma a sua diabetes?Optar por uma alimentação mais saudávelSer fisicamente ativoTomar adequadamente a medicação para a diabetesReduzir a pressão arterialMelhorar os níveis de colesterolFazer exames oftálmicosCuidar da higiene dentáriaVerificar o índice glicémico

MAIS

COMO DIMINUIR A VONTADE DE COMER DOCES?

Estudos mostram que o açúcar pode ser tão viciante quanto o álcool, o cigarro ou drogas! Ainda assim comer é considerado um ato de prazer, pelo que não se deve privar totalmente de consumir o que mais gosta, contudo é importante controlar-se e fazer dos "excessos" situações pontuais. Se está determinado em perder peso ou deseja somente ter uma alimentação saudável e retirou da sua alimentação diária alguns alimentos “proibidos” mas ainda assim sente vontade de comer um docinho, aprenda a controlar esta vontade com as nossas dicas:Ficar longe dos doces: nos locais onde habitualmente passa mais tempo, tente que os doces estejam fora do alcance da visão ou simplesmente não tenha esse tipo de alimentos. Este método ajuda a que não pense tanto em doces nem tenha a tentação de os comer.Escovar os dentes: após as refeições deve escovar sempre os dentes, este hábito leva a que a vontade de doces diminua ou desapareça.Consumir proteína: a proteína aumenta a saciedade, ajudando a resistir aos doces e outros alimentos nutricionalmente menos interessantes.Fazer refeições intermédias: ficar muitas horas sem comer pode levar a que na refeição seguinte se coma mais e selecione alimentos mais calóricos. Comer de 3 em 3 horas poderá ser a estratégia, para não chegar à refeição com episódios de compulsão alimentar.Comer lentamente: comer devagar durante as refeições e saborear os alimentos é a estratégia para diminuir a sensação de fome, pois a informação de saciedade leva alguns segundos a chegar ao cérebro.Praticar exercício físico: o exercício físico está associado a libertação de serotonina, hormona responsável pela sensação de bem-estar, efeito comum ao do consumo de doces. Além disso, diminui o estado de stress e de ansiedade que consecutivamente leva a uma menor compulsão alimentar que habitualmente está associada a fome emocional causada por este tipo de estados.

MAIS

COMO DIMINUIR A VONTADE DE COMER DOCES?
A GESTÃO DO TEMPO EM PROL DA SAÚDE

A GESTÃO DO TEMPO EM PROL DA SAÚDE

Apesar do consenso existente na comunidade científica acerca dos inúmeros benefícios advindos da prática regular de exercício físico o grau de sedentarismo na nossa sociedade atual continua a níveis elevadíssimo.Muitas são as desculpas e constrangimentos apresentados para se fugir dos treinos físicos, mas dentre elas uma ganha notoriedade: “a falta de tempo”. É verdade que o panorama socioeconómico presente trouxe como consequência uma frágil estabilidade na relação que os cidadãos mantêm com o mundo do trabalho, fazendo com que a sua gestão do tempo fosse drasticamente dificultada, ao ponto de porem de lado o tempo destinado ao lazer e aos cuidados da saúde.Num cenário social desta magnitude uma inteligente gestão do tempo pode ser o grande diferencial para se conseguir viver em equilíbrio. É nesta perspetiva que os treinos de curta duração estão a ganhar muitos adeptos, face às tradicionais idas aos ginásios, que muitas vezes exigiam um gasto de aproximadamente 2h de um valioso tempo.Muitos formatos de treino baseado numa curta duração (20´a 40´) têm surgidos, acompanhados de respaldo científico, garantindo que podem sim ser muito eficazes e seguros, quando administrados na dose certa. Estes treinos acabam por apresentar uma intensidade mais elevada do que o treino tradicional e geralmente são organizados em formato de circuitos.Os treinos de curta duração priorizam exercícios mais integrados, que envolvam uma maior quantidade de grupos musculares, trazendo como consequência um maior gasto calórico. Uma outra estratégia a adotar é a administração de pausas reduzidas (10`` a 30``) ou até mesmo pausas ativas durante o treino, a medida que o tempo de exercitação é extremamente otimizado, face aos descansos prolongados e quase adormecedores muito comuns nas tradicionais salas de musculação. Importante referir que estes treinos podem ser desenvolvidos com pequenos acessórios de treino (halteres, discos, fitball e outros), ou até mesmo apenas com o peso do corpo, não dependendo, portanto de grandes máquinas de musculação.A “falta de tempo” perante esta estratégia deixa de ser uma desculpa, visto ser possível concluir, perfeitamente, uma bela sessão de treino em média de 30´. Para que todo o processo seja ajustado da melhor forma é fundamental que assegure-se, junto a um profissional do Exercício Físico, do seu real estado físico, de modo que a intensidade do treino, a regularidade e a seleção dos exercícios possam ser graduadas respeitando os princípios da individualidade e progressão. Portanto, mãos à obra! Porque tempo é… saúde! Por Gustavo Levy, Personal Trainer

MAIS

TOSSE: TRATAMENTO NATURAL

A tosse é um sinal de alerta, pois trata-se de uma resposta fisiológica à irritação das vias aéreas e constitui um mecanismo de defesa do sistema respiratório. Assim, deve-se perceber a etiologia e a duração da tosse. As causas da tosse podem ser variadas, por exemplo:Infecção nas vias respiratórias;Alergias;Doença pulmonar obstrutiva crónica;Asma;Presença de corpos estranhos;Irritação das vias aéreas por substâncias como o fumo do tabaco, ou outras substancias quimicas;Refluxo gastroesofágico;Poluição ambiental. Com a chegada do inverno a tosse é bastante comum, principalmente a tosse produtiva, ou com expectoração.Tratamento natural para a tosse, siga os conselhos que se seguem:Procure perceber qual a causa da tosse;Se a tosse for produtiva verifique a coloração da expectoração (amarelo-esverdeada é sinal de infecção e quando é sanguinolenta e espumosa é sinal de bronquite, pneumonia ou outra situação mais grave);Hidrate e lubrifique as vias respiratórias: beba bastante água, infusões com mel, utilize pastilhas calmantes;Evite bebidas frias;Evite fumar ou estar em locais com muito fumo;Limpe as fossas nasais com frequência;Durma com a cabeceira da cama ligeiramente levantada, pois à noite a tosse tende a intensificar-se;Opte por pastilhas calmante e antiséticas com própolis e Óleo Essencial de Eucalipto.

MAIS

TOSSE: TRATAMENTO NATURAL
MENTE BRILHANTE

MENTE BRILHANTE

Já pensou o tempo que disponibiliza para a sua saúde mental?Temos assistido ao aumento da prevalência das patologias mentais como:Síndrome de burnout na população portuguesa (afeta 13% da população).Demências: Portugal é o 4º país com mais casos de demência segundo relatório da OCDE.A depressão dispara 43%.Os transtornos de ansiedade chegam aos 30%.Os distúrbios mentais são a principal causa de incapacidade em muitos países ocidentais, responsável por 30-40% de baixa médica crónica e aposentadoria antecipada, custando cerca de 3% do produto interno bruto. Além disso a população portuguesa, desde os adolescentes aos idosos, assume-se como exausta.A saúde mental e o bem-estar são fortemente influenciados pelas experiências e relações de vida, pelo que é importante estimular desde cedo uma boa saúde emocional e física para que possamos lidar com os desafios da vida, a inserção na sociedade, o desempenho laboral e a conivência e responsabilidade familiar.O stress e a ansiedade frequentes também exercem um forte impacto na saúde mental, pois levam a tensão emocional e fisiológica. Assim sendo, ficam 3 dicas fundamentais para preservar a sua saúde mental:Aprenda a lidar com o stress e a ansiedade: adopte técnicas de relaxamento e mantenha uma vida sociável ativa. Os suplementos alimentares ricos em substâncias como a Ashwagandha, Rodiola, Valeriana, Passiflora, Grifonia, Safr´InsideTM podem dar uma grande ajuda a regularizar a resposta do organismo e a melhorar a sensação de bem-estar.Adopte uma alimentação saudável rica em ómega 3. Pode obtê-lo através de frutos secos, azeite, peixe, e suplementação. Inclua também alimentos ricos em vitaminas do complexo B e antioxidantes.Mantenha o cérebro ativo, exercitando diferentes funções cerebrais e faça exercício físico.

MAIS

A IMPORTÂNCIA DE UMA BOA FLORA INTESTINAL

Quando nascemos, o intestino é colonizado pelas primeiras bactérias. Ao longo da nossa vida, a flora bacteriana é influenciada pela idade, dietas ricas em gordura e açúcar, consumo de álcool, tabaco, toma de antibióticos, stress e alterações do funcionamento intestinal, fatores estes que contribuem para o desequilíbrio da flora do intestino. A microbiota gastrointestinal é constituída por todos os microorganismos que habitam nos intestinos. O equilíbrio entre bactérias, leveduras, fungos e outros microorganismos é fundamental para a saúde.Sabia que:95% Das nossas bactérias estão localizadas no trato gastrointestinal;400 São as diferentes espécies que compõem a microbiota intestinal;No interior do nosso trato gastrointestinal há aproximadamente mil milhões de microorganismos. Os 4 piores inimigos da microbiota são os antibióticos, tóxicos, stress e dieta desequilibrada:O desequilíbrio da flora intestinal pode levar a:• Transtornos digestivos• Baixa imunidade• Distúrbios intestinais O que fazer:• Probióticos (Bifidobactérias, Lactobacillus, Saccharomyces boulardii, …)• FOS (Prebióticos, estimulam o crescimento de espécies consideradas probióticas)• Eletrólitos (sódio, potássio, cloreto)• Curcuma (Propriedades anti-inflamatórias)• Chá verde (Rico em epigalhocatequina que modula os mediadores pró-inflamatórios) Drª Bárbara CorreiaFarmacêutica Departamento Técnico Dietmed

MAIS

A IMPORTÂNCIA DE UMA BOA FLORA INTESTINAL
INFEÇÕES URINÁRIAS: SINAIS E SINTOMAS

INFEÇÕES URINÁRIAS: SINAIS E SINTOMAS

Uma infeção urinária corresponde à presença de bactérias em qualquer parte do sistema urinário (rins, ureteres ou bexiga).Consoante a localização, a infeção recebe nomes diferentes:No caso do rim designa-se de pielonefrite, da bexiga cistite e da uretra denomina-se de uretrite. As infeções urinárias são mais comuns nas mulheres, dada a maior proximidade da uretra feminina com o ânus e com a vagina e dado o facto de ser uma uretra muito mais curta do que a masculina, o que permite que os microrganismos alcancem mais facilmente a bexiga.Sinais e sintomas:ardor ou dor ao urinarvontade urgente e frequente de urinarodor forte da urina, que se apresenta turva (e pode conter vestígios de sangue)dificuldade em iniciar a micçãodor na parte inferior do abdómenfebreSoluções naturais:- Arando vermelho: Inibe a aderência bacteriana por ação nas fímbrias; usado na prevenção e como desinfetante das vias urinárias- UTIroseTM: Extrato patenteado com ação nas infeções urinárias; diminui a aderência das bactérias às paredes do trato urinário; atua sobre a E. Coli e a Candida Albicans- L. Rhamnosus + L. Fermentum: Impedem a aderência dos agentes patogénicos ao trato urinário; aumentam a imunidade da mucosa intestinal e melhoram a imunidade inata e celular.

MAIS

MENOPAUSA: COMO ALIVIAR OS SINTOMAS?

A menopausa é a altura na vida da mulher em que a menstruação nunca mais volta. A partir dos trinta e cinco anos de idade o sistema hormonal da mulher começa a modificar, diminuindo progressivamente os níveis de hormonas, como o estrogénio e a progesterona, culminando à volta dos cinquenta anos com a falta da menstruação.Como estas hormonas estão relacionadas com diversas funções orgânicas, quando isto acontece, a mulher vai apresentar sinais e sintomas que podem condicionar a qualidade de vida e, sobretudo, conduzir a possíveis patologias:aumento da gordura abdominalalterações no apetiteafrontamentossecura vaginalflacidez da peleosteopenia/osteoporosealterações da libidoTer uma alimentação mais equilibrada devido ao metabolismo mais lento e a prática de exercício físico são condições essenciais para a mulher se manter equilibrada nesta fase.Assim, sugerimos os cereais integrais e fruta no pequeno almoço, proteína vegetal ou animal magra com saladas frescas no almoço. Ao jantar, optar por fazer uma refeição só com legumes, como por exemplo sopa e uma peça de fruta, que podem ajudar a melhorar o peso e a manter o corpo mais alcalino.Esta é uma altura importantíssima para utilizar e beneficiar dos suplementos naturais. Para a pele é imprescindível tomar colagénio marinho, ácido hialurónico, vitamina C e vitamina E, que ajudam a renovar o colagénio. Para melhorar sintomas como a alteração da libido, afrontamentos e secura vaginal aconselhamos isoflavonas de soja e óleo de onagra. Existem condições médicas onde as isoflavonas de soja não são recomendadas (como em casos de cancros hormono-dependentes). Nesta situação a planta agno-casto pode ser uma alternativa.Muitas vezes as queixas também se colocam a nível do sistema nervoso: ansiedade, cansaço, dificuldade em dormir e até irritabilidade. A medicina natural oferece ajudas valiosas para controlar estes sintomas, como a passiflora, a salva e a flor de laranjeira. Drª Ana Tavares, Farmacêutica | Consultora em Homeopatia e Nutracêuticos

MAIS

MENOPAUSA: COMO ALIVIAR OS SINTOMAS?
Prevenir a Diabetes com a prática de Pilates

Prevenir a Diabetes com a prática de Pilates

A Diabetes Mellitus é responsável por inúmeras complicações para a saúde. Trata-se de uma doença que atinge 370 milhões de pessoas.  Estima-se que esse número aumente para 552 milhões em 2030.Três em cada quatro pessoas que estão a viver com diabetes têm idade entre 20 e 64 anos. A Diabetes Mellitus (DM) se manifesta-se de duas formas:- DM Tipo 1: caracterizada como uma doença autoimune e hereditária;- DM Tipo 2: adquirida pelos hábitos de vida e caracteriza-se como uma doença marcada pela resistência à insulina, hiperglicemia (aumento de açúcar no sangue) e disfunção vascular. O estilo de vida moderno tem contribuído para o desenvolvimento da diabetes, nomeadamente na DM Tipo 2, correlacionada diretamente com obesidade, sedentarismo, fatores genéticos e ambientais. A mudança no estilo de vida deve ser sempre o primeiro passo, com alterações na dieta e atividade física.Percebem-se como fatores de risco:Estar acima do peso;Ter 45 anos ou mais;Ter um parente de primeiro grau com Diabetes Tipo 2;Ter histórico de síndrome do ovário policístico;Ter histórico de diabetes gestacional ou ter dado à luz a um bebê que pesou mais do que 4 quilos;Sedentarismo.E o Pilates?O Pilates associa o exercício muscular e respiração consciente, como fatores aliados a um momento de redução do ritmo corrido do dia a dia. Os exercícios podem ser executados no solo ou envolver o uso de equipamentos especializados. Assim, vem-se consolidando como um exercício físico com elevado número de adeptos, por ser conhecido como uma atividade segura, prazerosa e eficiente.Estudos têm demonstrado que o Pilates é eficaz em reduzir a adiposidade intra-abdominal e comprovam a eficácia do método na redução de gordura e glicose. O uso da respiração, associada ao exercício, potencializa os resultados, diminuindo exponencialmente os níveis de açúcar e gordura no sangue. Além do mais, para emagrecer deve-se priorizar o prazer e o bem-estar na escolha de uma atividade física. A associação entre exercícios e sofrimento é provavelmente um dos principais desmotivadores para a prática da atividade física, neste quesito o método sobressai-se por ser uma prática agradável, desafiante e prazerosa.Portanto, o método Pilates pode ser indicado para qualquer indivíduo, de diferentes faixas etárias, sendo prescrito com mais frequência para pessoas com dor lombar crónica, para correção postural e melhora do equilíbrio, flexibilidade e força. Também deve ser indicado para cuidar da saúde em geral, para o aumento da massa muscular e redução de massa gorda e para a melhoria da qualidade de vida. Por Gustavo Levy, Personal Trainer

MAIS

Articulações saudáveis: as substâncias fundamentais

O verão, o calor, os dias grandes dão um ânimo extra para sair de casa e aproveitar o tempo com atividades ao ar livre. Sejam desportos, exercícios, piqueniques, simples caminhadas à beira-mar ou em parques para contemplar a natureza, o período é ótimo para quem busca bem-estar e qualidade de vida.O sol traz benefícios incríveis para a nossa saúde, como, por exemplo, aumentar os níveis de vitamina D no organismo. Esta vitamina é importante para melhorar a absorção de cálcio e fósforo no corpo e, assim, auxiliar o funcionamento do sistema nervoso, além de fortificar ossos, dentes e músculos.Para podermos desfrutar destes dias grandes e luminosos em pleno, as nossas articulações têm de estar saudáveis para nos sentirmos em forma também!Existem várias substâncias muito importantes para as nossas articulações, contudo, destacamos as seguintes:COLAGÉNIOProteína estrutural necessária para promover a integridade e força de tensão aos tecidos conjuntivos, osso e cartilagemReduz a crepitação articular, a inflamação e repõe os níveis de colagénio que reduzem com a idadePara uma melhor eficácia, o colagénio deve ser hidrolisado, tornando-se mais biodisponível É um dos componentes principais da matriz extracelularTem impacto nos processos associados à degeneração da cartilagemÁCIDO HIALURÓNICOÉ um componente comum do líquido sinovial e da matriz extracelularÉ um polissacárido natural, de cadeia linear e de elevada massa molecularNo líquido sinovial, a elevada concentração de ácido hialurónico providencia uma lubrificação necessária para a articulação, servindo como absorvente de choques, redutor da fricção entre 2 ossos e do desgaste da articulação.Na Vitaceutics encontra soluções para a saúde articular:Good Collagen: linha rica em substâncias como colagénio e ácido hialurónicoGood Joint: fórmula reforçada com glucosamina, condroitina, MSM, boswellia, ácido hialurónico, entre outros. Por Drª Bárbara Correia, Farmacêutica

MAIS

Articulações saudáveis: as substâncias fundamentais
Problemas digestivos: a importância de criar bons hábitos

Problemas digestivos: a importância de criar bons hábitos

Os problemas digestivos são muito comuns, deparando-nos diariamente com eles na nossa sociedade. A nível europeu, cerca de 80% dos adultos sofre, em média, de um sintoma gastrointestinal por mês e 40% tem uma ocorrência acrescentada de cerca de três sintomas por mês. Existem vários tipos de patologias, onde se destacam:- a dispepsia, comummente designada por má digestão - a flatulência - a diarreia - a obstipação - a pirose  As principais causas destes problemas digestivos, devem-se essencialmente ao estilo de vida e do quotidiano: stress regular, refeições rápidas, desequilibradas, fraca qualidade dos alimentos que se ingere, mudanças horárias constantes, entre outros hábitos diários desajustados.A afeção digestiva mais frequente é a dispepsia. A dispepsia é uma situação em que a pessoa apresenta sinais e sintomas relacionadas com má digestão, como dor na parte superior do abdómen, arrotos, náuseas e sensação de mal estar geral, o que pode interferir diretamente na qualidade de vida da pessoa. Na maioria das vezes, essa situação está relacionada com a presença da bactéria Helicobacter pylori no estômago, porém pode também acontecer devido a maus hábitos alimentares, infeções intestinais ou alterações emocionais, como stress e ansiedade, por exemplo.Em alguns doentes os sintomas podem ter origem noutros órgãos, em consequência de patologias ao nível do pâncreas ou de cálculos biliares.As afeções gastrointestinais têm interferência na qualidade de vida dos doentes, sobretudo devido aos sintomas que acompanham a patologia, nomeadamente ao nível da dor e desconforto, restrições alimentares e stress. Daí a importância de criar bons hábitos para evitar o desenvolvimento destas afeções. Fique com alguns conselhos que deve por em prática:- Adotar uma alimentação variada e equilibrada- Restringir o consumo de sal e gorduras- Ingerir fibras solúveis e insolúveis- Evitar os alimentos aos quais é intolerante- Mastigar bem os alimentos- Manter-se hidratado, principalmente fora das refeições- Moderar o consumo de café, álcool e tabaco- Praticar exercício físico Por Carla Santos, Farmacêutica

MAIS

COMO AUMENTAR A IMUNIDADE

A imunidade é a capacidade de resposta que o nosso organismo tem para se defender de invasores como vírus, bactérias ou fungos, que possam provocar doenças. Quando a nossa imunidade está em baixo estamos propensos a ter infeções. Consoante a afeção em causa, existe uma série de medidas que podem ser úteis no alívio da sintomatologia associada:- Garganta irritada: líquidos quentes costumam trazer alívio sintomático. Chá com limão e mel pode ser uma boa sugestão. Pastilhas contendo óleos essenciais, devido à sua ação balsâmica e antisética são muito úteis no alívio da irritação.- Tosse: regra geral, as tosses secas devem ser suprimidas, enquanto a tosse produtiva deve ser respeitada, isto é, deve promover-se a limpeza das vias respiratórias.- Tosse com expetoração: é aconselhado um expetorante ou mucolítico.- Tosse seca e incomodativa: é aconselhado um antitússico. Em caso de tosse deve sempre beber muita água.- Debilidade e fadiga: é importante garantir um aporte nutricional adequado, com vitaminas (A, C e E), e outros nutrientes necessários à manutenção de um sistema imunitário capaz. O repouso é fundamental para uma recuperação em pleno.- Lábios secos e gretados: utilize um cachecol ou lenço, de modo a proteger esta zona da ação direta dos fatores ambientais. A utilização de um batom ou creme apropriado é também vantajosa. Uma boa nutrição está intimamente ligada à capacidade do nosso organismo se defender das agressões externas, como os vírus que mencionamos, mais recorrentes nesta altura do ano. Fique com alguns exemplos de alimentos para aumentar a imunidade:- Vitamina C: laranja, kiwi, limão, tangerina, toranja, limão, morango, brócolos, espinafres;- Vitamina E: amêndoa, amendoim, avelã, sementes de girassol, gérmen de trigo;- Selénio: gema de ovo, sementes de girassol, frango, castanha do pará;- Zinco: cereais integrais, leguminosas (feijão, grão, ervilhas), carne, castanha;- Probióticos: Kefir, iogurte natural;- Ácido fólico: fígado, lentilhas, brócolos, espinafres, beterraba;- Ómega 3: peixes gordos (sardinha, cavala, salmão), linhaça, nozes, azeite. Quando não é possível obter todos estes nutrientes através da alimentação diária, a suplementação deve ser ponderada de modo a prevenir o aparecimento de doenças. Para isso selecionamos os melhores suplementos da Vitaceutics para reforçar a imunidade:VITAMINICUM IMMUNE PROTECTVITAMINICUM VITAMINA C STRONGVITAMINICUM VITAMINA D3 STRONGFORBIOTICS IMMUNEGOOD FLU SOSGOOD ROYAL GELEIA REAL SUPER 2000 Ainda assim é importante ter em conta outros aspetos para aumentar a imunidade, como o repouso adequado, diminuir o stress e a ansiedade, não fumar, não ingerir bebidas alcoólicas, entre outros. Adriana Martins, Nutricionista

MAIS

COMO AUMENTAR A IMUNIDADE
Qual a função do sistema osteoarticular?

Qual a função do sistema osteoarticular?

O sistema esquelético humano é formado por vários ossos de tamanhos e formas diferentes. O que garante a junção desses ossos e a mobilidade humana são as articulações entre eles.A maior parte das articulações proporciona a capacidade humana de realizar amplos movimentos, garantindo, dessa forma, a manipulação de objetos e a execução de movimentos variados, como andar, sentar, correr, etc. Qualquer desequilíbrio no funcionamento ótimo das articulações, pode determinar o início de uma degeneração que, mais cedo ou mais tarde, poderá vir a dar origem a uma “afeção reumática”. As “afeções reumáticas” constituem uma designação genérica que abrange o conjunto de situações que afetam o Sistema Osteoarticular. Estima-se que haja mais de 100 doenças reumáticas. Só em Portugal, cerca de 2,7 milhões de pessoas sofrem de algum tipo de afeção reumática.  As doenças reumáticas e músculo-esqueléticas representam, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de metade da prevalência de doenças crónicas em pessoas com idade acima dos 50 anos e são a categoria mais destacada no grupo destas doenças não transmissíveis. A prevenção é o principal cuidado com as articulações: hábitos saudáveis e a prática de atividade física não só contribui para a preservação de uma articulação saudável, como também auxilia no bom funcionamento do corpo. Conheça alguns dos suplementos alimentares com maior relevância para a Saúde Osteoarticular: Sulfato de glucosamina e de condroitina: a glucosamina e a condroitina agem sobre a cartilagem que reveste as articulações, protegendo e retardando o processo degenerativo e inflamatório da cartilagem, diminuindo a dor e causando a diminuição da limitação dos movimentos que geralmente acontecem em doenças que atingem a cartilagem. Boswellia serrata: A Boswellia é constituída por óleo essencial, resina, goma e mucilagens. Tem ação antissética e anti-inflamatória; é útil no reumatismo e na artrite reumatóide; externamente em mialgias e articulações dolorosas. Cálcio: O cálcio é o 5º elemento mais abundante no corpo humano. É responsável por uma grande variedade de funções no corpo: para o metabolismo dos ossos, coagulação sanguínea e na oxigenação dos tecidos. Também ajuda a manter o equilíbrio da quantidade de ferro no organismo. Ele atua ainda na regulação dos batimentos cardíacos, na transmissão de estímulos nervosos e na contração muscular. É adquirido principalmente pela alimentação e, depois de consumido, é absorvido pelo intestino e fixado no esqueleto.Portanto, o recurso a práticas de vida saudáveis, bem como aos Suplementos Alimentares, constituem opções úteis para ajudar a regular e a modular os processos fisiológicos da dor, inflamação, manutenção óssea e das cartilagens, de modo a favorecer um maior conforto ao nível da Saúde Osteoarticular. Dr. Ricardo Leite, Farmacêutico

MAIS

Porque temos insónias?

A insónia é um distúrbio do sono. Existe dificuldade em adormecer ou em manter o sono, podendo acordar mais cedo que o habitual e não conseguir voltar a descansar.Antes de mais, é importante saber distinguir as insónias pontuais das insónias crónicas… Em algum momento ao longo das nossas vidas, podemos sofrer de insónia de curta duração, que pode durar dias ou semanas. Geralmente, resulta de stress ou de um evento traumático, e é uma situação normal. Deve preocupar-se quando isto se repete frequentemente ou por períodos mais prolongados. A insónia pode ser o principal problema ou pode estar associada a outras doenças ou medicamentos. Os principais sintomas de insónia podem incluir:- Dificuldade para adormecer à noite- Despertar durante a noite- Despertar muito cedo- Sentir-se cansado após uma noite de sono- Cansaço ou sonolência diurna- Irritabilidade, depressão ou ansiedade- Dificuldade em concentrar-se- Dores de cabeça localizadas Mudanças simples nos seus hábitos diários, geralmente, devem ajudar. Vejamos o que pode fazer:Exercite-se e permaneça ativo: fazer exercício físico durante o dia é aconselhado para alongar músculos, diminuir a ansiedade e libertar substâncias, como endorfinas, que nos dão sensação de relaxamento, prazer e alegria.Controle o consumo de cafeína: evite beber café (principalmente à noite) e verifique os rótulos dos produtos para conferir se eles contêm cafeína ou outros estimulantes.Evite as cestas durante o dia: se não puder evitar, certifique-se de que não passará de aproximadamente 30 minutos e não ocorrerá após as três horas da tarde.Evite ou limite o consumo de álcool e nicotina: essas substâncias são estimulantes e podem tornar o adormecer mais difícil.Regularize seu relógio biológico: estabeleça um horário fixo para dormir e acordar, preocupando-se sempre na quantidade de horas dormidas. Além destes bons hábitos de sono, na hora de dormir também deve ter alguns cuidados:- Evite refeições pesadas e bebidas estimulantes antes de dormir (pelo menos 6 horas antes)- Evite ter televisão no quarto, usar computadores, vídeo jogos, smartphones ou outros écrans, pois a luz pode interferir no ciclo de sono.- Torne o seu quarto um ambiente confortável e próprio para o sono: feche a porta, apague as luzes, mantenha a temperatura agradável e deite-se confortavelmente.- Esconda os relógios do quarto para evitar ver as horas constantemente.- Relaxe: um banho morno, músicas suaves e exercícios de relaxamento podem ajudar.

MAIS

Porque temos insónias?
O que causa a má digestão?

O que causa a má digestão?

A dispepsia, comummente conhecida como “indigestão” ou “má digestão”, é o nome dado à sensação de desconforto na parte superior do abdómen durante ou logo após uma refeição. A dispepsia pode estar relacionada com diversas doenças subjacentes, mas inclui uma série de outros sintomas: azia, dor epigástrica (na parte superior do abdómen ou no peito), distensão abdominal, saciedade precoce, arrotos e ruídos abdominais, náuseas e vómitos. Existem várias causas que podem contribuir para uma digestão difícil, e estão normalmente relacionadas com os maus hábitos alimentares e estilo de vida. Distinguimos as seguintes:   - Consumo de alimentos ricos em gordura e/ou hidratos de carbono. - Consumo de alimentos adulterados ou estragados. - Ingestão de produtos processados. - Horários de refeição desequilibrados. - Consumo excessivo de bebidas estimulantes (cafeína e álcool). - Comer rápido e/ou em quantidades excessivas. - Stress/Ansiedade - Toma de alguns medicamentos (ex: anti-inflamatórios). - Tabagismo. Além dos fatores “controláveis” referidos, podem existir outras causas de saúde que conduzem à má digestão: - Intolerâncias alimentares - Gastrite - Ulceras gástricas ou duodenais - Infeção por H.Pylori - Perturbações da motilidade intestinal - Obstipação Normalmente, mudar os maus hábitos referidos anteriormente é o suficiente para tratar os sintomas da má digestão. Contudo, há situações que podem requerer outro tipo de soluções, como o uso de suplementos alimentares, medicação ou outros tratamentos. Essa necessidade deve ser sempre apurada por um profissional de saúde. Fique com alguns conselhos que podem ajudar a aliviar ou erradicar a sintomatologia em da dispepsia / indigestão:- Mastigar lentamente os alimentos. - Fracionar as refeições ao longo do dia, comendo menos quantidade, mais vezes. - Cumprir os horários de refeições adequados - Diminuir o consumo de alimentos ricos em gordura e processados - Praticar uma alimentação equilibrada  - Evitar deitar-se após uma refeição - Reduzir o consumo de café e tabaco - Hidratar-se adequadamente ao longo do dia, evitando grandes volumes de água junto às refeições principais. - Praticar exercício físico. Se não consegue cumprir com todas estas mudanças, aconselhamos a procurar ajuda profissional quando os sintomas permanecem.Adriana Martins, Nutricionista

MAIS

Como ter uma pele saudável após o verão

Com o final do verão, terminam os dias relaxantes e há um misto de tristeza por ter que regressar à azáfama do dia-a-dia, não é verdade? Mas, o fim das férias, também deixa outras marcas… As marcas da exposição (excessiva) ao sol, da água do mar e da piscina: pele seca e desidratada, caída de pele, manchas, pele sem brilho, sem elasticidade e outros sinais de envelhecimento. Tudo o que queremos agora é recuperar o aspeto saudável da pele. Mas… o que podemos fazer? Antes de mais, devíamos investir na prevenção, respeitando as regras de exposição solar, quer em termos de horário de exposição, quer pela utilização frequente de protector solar, aplicando e renovando a aplicação mesmo quando não estamos expostos ao sol, utilizar óculos de sol e aplicar creme hidratante de manhã e à noite. Existem 3 regras base para tratar e cuidar da sua pele após o verão:1. Hidratar2. Aumentar a firmeza, elasticidade, tonicidade da pele3. Contrariar e eliminar os radicais livres promotores do envelhecimento precoce  Para conseguirmos atingir este objetivo, é importante nutrir a pele, e não falamos apenas à superfície. É necessário um cuidado de dentro para fora. Só assim pode realmente recuperar o aspeto saudável da sua pele. Assim, fique com algumas soluções naturais que podem ajudar: ColagénioO colagénio é uma proteína estrutural necessária para promover a elasticidade, tonicidade e firmeza da pele.  Resveratrol, Açaí, Videira Vermelha e RomãGraças ao seu poder antioxidante combinado, combatem a ação dos radicais livres que provocam o envelhecimento da pele, reparam os danos induzidos pela radiação UV e atenuam as manchas. Ácido HialurónicoO Ácido Hialurónico é um componente da matriz extracelular da derme. A sua grande função é promover a hidratação da pele, aumentar a proteção da pele em relação à radiação UV e contribuir para aumentar a capacidade de reparação tecidular.  Metionina e CisteínaEstes dois aminoácidos são grandes defensores e reparadores dos danos provocados pela exposição solar, pois estimulam a síntese de antioxidantes endógenos como a glutationa reduzida (GSH). Esta contribuição é de extrema importância, porque os níveis de síntese de glutationa podem encontrar-se comprometidos durante o envelhecimento. Vitamina C, A, E, B2, Biotina, Niacina, Silicio, Selénio, ZincoEsta conjugação de vitaminas e minerais reforça a ação antioxidante. Drª Carla Santos, Farmacêutica

MAIS

Como ter uma pele saudável após o verão
DICAS PARA EVITAR A QUEDA DE CABELO

DICAS PARA EVITAR A QUEDA DE CABELO

A queda de cabelo é um tema transversal a quase todos nós. Quem nunca atravessou uma fase ou altura do ano em que vê maior quantidade de cabelo na escova ou no travesseiro?As causas da queda de cabelo podem ser diversas: alterações hormonais, cansaço, falta de descanso noturno, carências nutricionais, tratamentos médicos, stress, gravidez, entre outras.Assim, de que forma pode evitar a queda de cabelo? Fique com alguns conselhos: ALIMENTAÇÃO As Vitaminas, minerais, oligoelementos e ácidos gordos como ómega 3, 6 e 9 são nutrientes fundamentais para a manutenção capilar. Assim, ingerir várias peças de fruta fresca ao dia (banana da madeira, dióspiro, amêndoa, avelã); legumes em pelo menos duas das refeições diárias, peixe rico em ómega 3 (carapau, sardinha) e cereais integrais (aveia e cevada), é fundamental. Podemos também adicionar à alimentação, gérmen de trigo rico em vitaminas e minerais, colocando 1 colher de chá na sopa ou num batido de fruta. O mesmo acontece com a levedura de cerveja, rica em vitaminas do complexo B. DESCANSO Dormir as horas suficientes é muito importante para restaurar a energia vital. Nos dias em que não consegue descansar o suficiente, reforce o organismo com geleia real. A geleia real é o alimento da abelha rainha e é altamente nutritivo e regenerador celular. É rica em aminoácidos, vitaminas, oligoelementos, enzimas e biocatalizadores. Nota: aconselhamos que seja tomada pelas cinco horas da tarde ou à noite para revitalizar organismo. SOLUÇÕES NATURAIS Existem substâncias específicas para a saúde capilar, que fortalecem os fios de cabelo, contribuem para a pigmentação e também previnem a queda. São elas: o colagénio marinho hidrolisado, vitaminas antioxidantes (vitamina A e C) e minerais como o Zinco e o Cobre. Estas substâncias podem ser encontradas quer sob a forma de toma via oral, quer sob a forma de aplicação capilar tópica. Quando a causa da queda do cabelo é hormonal, aconselhamos a planta Saw palmetto. Drª Ana Tavares, Farmacêutica e Consultora em Homeopatia e Nutracêuticos

MAIS

6 Etapas para uma depuração eficaz

As dietas e planos para depurar o organismo têm vindo a ganhar cada vez mais adeptos, pois as pessoas estão mais conscientes das toxinas e resíduos prejudiciais à saúde que precisam ser eliminados do corpo. Assim como tomamos banho todos os dias, lavamos a nossa roupa e escovamos os dentes, o interior do nosso corpo também precisa de uma limpeza periódica.Em termos “técnicos”, o processo de eliminação das toxinas, ocorre através dos chamados órgãos emunctórios, que são órgãos especializados encarregues de eliminar para o exterior as substâncias tóxicas. Os principais órgãos emunctórios são a pele, os pulmões, os rins e os intestinos (com o fígado a assumir funções de glândula acessória). Mas, apesar da eficácia desse processo de eliminação natural através do nosso organismo, existem vários factores do nosso dia-a-dia que prejudicam essa eliminação, como por exemplo: a vida agitada e stressante dos dias modernos, a alimentação descuidada, o sedentarismo, o stresse e até a poluição ambiental. Estes fatores, que expõem constantemente o nosso organismo a resíduos e toxinas, vão promover uma acumulação progressiva de substâncias tóxicas que não foram eliminadas. O objetivo principal é, assim, “limpar” o organismo dessas substâncias tóxicas e líquidos em excesso. A acumulação excessiva destas substâncias pode revelar-se através de manifestações como a fadiga, digestões difíceis, perda de apetite, dificuldade em dormir e astenia. Apresentamos seis etapas fundamentais para uma depuração eficaz:1. PROMOVER UM BOM FUNCIONAMENTO HEPÁTICO Estimular a eliminação dos metabolitos acumulados no fígado, pois são capazes de alterar o equilíbrio funcional do organismo e o estado de saúde do indivíduo.  2. FAVORECER A ELIMINAÇÃO DOS EXCESSOS Esta eliminação deve, em particular, beneficiar o funcionamento dos intestinos, através da regularização do trânsito intestinal e reforço da flora intestinal. Isto vai promover a excreção de toxinas e manter uma boa barreira imunitária.  3. HIDRATAÇÃO Além do intestino, o canal urinário é uma das vias mais importantes quando falamos em eliminação de excessos. Portanto, é fundamental ingerir água, no mínimo 1,5 litros por dia. A ingestão de água, limpa e tonifica o tubo digestivo, além de ser muito importante para favorecer o fluxo urinário, beneficiando o processo de eliminação dos excessos por via renal.  4. TER CUIDADO COM A ALIMENTAÇÃO É importante bloquear a absorção dos açúcares e gorduras. Não comer em demasia e aprender a controlar o apetite exagerado também é fundamental.  5. GARANTIR UM CORRETO APORTE DE FIBRAS As fibras não só ajudam ao bom funcionamento do sistema digestivo, como também ajudam a controlar a saciedade.  6. SOLUÇÕES NATURAIS Quando o objetivo é promover uma correta depuração hepática, podemos considerar as seguintes soluções naturais: Borututu, Colina; Cardo Mariano; Alcachofra; Dente de Leão, Brócolos e Rábano Negro.  Dr. Ricardo Leite, Farmacêutico 

MAIS

6 Etapas para uma depuração eficaz
4 Dicas essenciais para melhorar a mobilidade articular

4 Dicas essenciais para melhorar a mobilidade articular

A mobilidade articular é a capacidade que as articulações têm de executar movimentos de pequena e grandes amplitudes… Portanto, para ter uma boa mobilidade é importante cuidar das suas articulações.  Existem pequenos truques que poderá introduzir na sua vida diária, de modo a manter ou melhorar o seu grau de mobilidade. Aqui ficam 4 dicas essenciais para melhorar a mobilidade articular:1- Praticar exercício físico: realizar 30 a 40 minutos diários de atividade física moderada/intensa; 2- Realizar alongamentos estáticos: estes permitem manter a mobilidade articular pois evitam os encurtamentos musculares. Assim, as estruturas musculares e as articulações mantêm a sua funcionalidade e amplitude de movimento.  3- Hidratação: fundamental para manter a lubrificação da cartilagem das articulações, prevenindo, por exemplo, patologias como a osteoartrose. 4- Manutenção do peso: o excesso de peso sobrecarrega as suas articulações, aumentando o risco de dor e aparecimento de lesões. As pessoas com excesso de peso sofrem frequentemente de dores articulares e artrose moderadas/graves. A causa mais frequente desta dor é o stress mecânico relacionado com o excesso de carga a que tais articulações estão sujeitas em pessoas com sobrepeso.   Existem ainda alguns comportamentos que pode adotar, de modo a controlar melhor a dor e a inflamação na articulação afetada: 1- Tomar um duche quente. 2- Praticar técnicas de relaxamento, preferencialmente com orientação adequada. 3- Aplicar gelo na zona dorida. 4- Não esforçar a articulação afetada. 5- Optar por desportos que permitam uma movimentação regular e moderada das articulações, como a natação. 6- Ter um maior cuidado com o desempenho de atividades domésticas e recreativas, nomeadamente, na postura da coluna. 7- Manter uma alimentação equilibrada e, se necessário, recorrer à toma de suplementos alimentares. 8- Dormir num colchão duro e com uma almofada macia e não muito alta. Se passar muito tempo sentado tenha o cuidado de manter sempre as costas e o pescoço devidamente apoiados.   Hugo Ferreira, Personal Trainer

MAIS

Smart nutrients: alimentos para o cérebro

Hoje, ninguém mais duvida de que a alimentação contribui fundamentalmente para a qualidade de vida das pessoas. Não se trata apenas de cuidar do lado estético, mas, essencialmente, da saúde!Os smart nutrients (“alimentos inteligentes”) existem sob a forma de vitaminas, minerais, aminoácidos e gorduras que agem positivamente sobre todos os códigos de funcionamento do cérebro. São, assim, vistos como uma nova forma de tratar a saúde, pois influenciam direta ou indiretamente na produção de substâncias que são essenciais para a performance mental. Conheça os principais smart nutrients, as suas propriedades e fontes mais comuns:Cálcio: a sua principal função está diretamente relacionada com a estrutura óssea (onde é naturalmente armazenado), nomeadamente, na formação e desenvolvimento dos ossos e dentes. Mas é importante também para o sistema nervoso e cardiovascular. Fontes principais: vegetais de folha verde, tofu, salmão, frutos secos e brócolos. Ferro: as principais funções do ferro verificam-se essencialmente ao nível da formação da hemoglobina e da respiração celular, estando, assim, diretamente associado aos níveis de energia e fadiga. Fonte principais: cacau em pó, feijão, leguminosas, gema de ovo e beterraba. Nota: associar alimentos ricos em vitamina C aumenta a absorção do ferro. Vitamina D: conhecida como a “vitamina do sol”, a sua principal função é permitir que o cálcio e o fósforo dos alimentos seja absorvido no intestino. Participa também na regulação do funcionamento celular, neuromuscular e contribui para a saúde óssea. Fontes principais: manteiga, peixes gordos e óleo de fígado de peixe. Curcuma: é uma planta bastante conhecida mundialmente em virtude das suas propriedades medicinais e do seu uso culinário. Tem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes, neuroprotetoras, entre muitas outras. Probióticos: são bactérias benéficas que vivem no intestino e melhoram a saúde geral do organismo, trazendo benefícios como facilitar a digestão e a absorção de nutrientes, e fortalecer o sistema imunitário. Fontes principais: iogurte natural, kefir, leite fermentado, kombucha. Dra. Ana Tavares, Farmacêutica e Consultora em Homeopatia e Nutracêuticos

MAIS

Smart nutrients: alimentos para o cérebro
BRONZEADO SAUDÁVEL: SOLUÇÕES NATURAIS

BRONZEADO SAUDÁVEL: SOLUÇÕES NATURAIS

Sabia que existem plantas e substâncias que podemos utilizar para proteger a pele e conseguir um bronzeado saudável? Essas plantas ajudam a prevenir o envelhecimento da pele, por excessiva exposição solar, ou alergias provocadas pelo sol.  BETACAROTENO Prepara a pele para exposição solar, facilita o bronzeado e tem uma função antioxidante, reforçando a resistência da epiderme às agressões exteriores. ÓLEO DE FÍGADO DE BACALHAU Rico em ómega 3, vitamina D e vitamina A também é um excelente suplemento para a pele. O ómega 3 nutre as membranas celulares e a vitamina A é um reconhecido regenerador de mucosas e pele.  RESVERATROL, SELÉNIO E VITAMINA E A ingestão destes antioxidantes ajudam a prevenir o envelhecimento da pele.  VITAMINA C  Participa na formação do colagénio, que é fundamental para a reparação e crescimento de tecidos no corpo humano.

MAIS

Entenda como o nosso corpo pode perder peso

Para atingir o peso adequado à nossa estrutura corporal, bastam reduções modestas entre 5 e 10% para já se verificarem melhorias significativas na saúde: redução da quantidade de gordura no organismo, pressão arterial, colesterol, etc. Conheça as várias fases que contribuem para o sucesso num processo de perda de peso e de que forma pode atingir os resultados que tanto procura. Reduzir a ingestão calóricaReduzir as quantidades de energia ingerida é um dos principais factores a ter em conta se queremos reduzir o peso. Nos programas de perda de peso é aconselhada uma redução do aporte de energia para as 1000 a 1500 kcal/dia. Contudo, como cada caso é um caso, devem-se ajustar esses valores, de forma a obter-se um défice energético de 500 a 1000 kcal/dia. Assim, a perda de peso real por semana deve ser de 0,5 a 0,9 kg. Praticar exercício físicoChegar ao nível de redução calórica pretendido na dieta, normalmente, é um grande desafio, e, por isso, também é necessário praticar atividade física para aumentar a queima de calorias e acelerar o metabolismo.O exercício físico deve ser praticado de forma progressiva (se não estiver habituado), mas persistente, evitando o cansaço excessivo.É recomendado que se faça, pelo menos, 30 minutos de atividade física moderada, por dia. O tipo de exercício mais aconselhado é o aeróbio por obrigar a uma maior frequência cardíaca e a um maior consumo de oxigénio, devido ao esforço (logo, a um maior gasto calórico). Assim, o aconselhado é fazer caminhadas, nadar, andar de bicicleta, subir escadas, correr, etc. Processo de lipóliseTudo o que ingerimos precisa passar por transformações físicas e químicas para ser aproveitado pelo nosso organismo.A lipólise é o processo de degradação de lipídios em ácidos gordos e glicerol. Acontece no tecido adiposo e é ativado quando os níveis de glicose são insuficientes para suprir as necessidades corporais. Dessa forma, o pâncreas tende a produzir glucagon, estimulando o fígado a libertar glicose no sangue proveniente do glicogénio.Além disso, o glucagon estimula a metabolização de triglicerídeos armazenados no tecido adiposo, fazendo com que ocorra a liberação de ácidos gordos e glicerol, onde, respetivamente, um será usado como fonte de energia e outro será transformado em glicose, em que parte é libertado no sangue e outra parte atua na reposição do glicogénio hepático.Portanto, no fundo favorecemos a substituição de gordura por músculo, e o tecido muscular é mais compacto. Por isso, as pessoas devem estimular a lipóliseque quando desejam emagrecer. Drenagem de líquidosPor vezes, o corpo não consegue eliminar os fluidos em excesso e estes acumulam-se nos tecidos, provocando edema (inchaço) – retenção de líquidos.Existem várias causas potenciais para a retenção de líquidos, que vão desde comportamentos e hábitos menos adequados a outros problemas de saúde, como por ex.: consumo excessivo de sal, excesso de peso, passar muitas horas de pé ou sentado, doenças renais, da tiróide (hipotiroidismo), cardíacas ou má circulação sanguínea, entre outras.Os rins são os órgãos de eliminação mais importantes, pois depuram o sangue das substâncias prejudiciais ao organismo e eliminam-nas através da urina.A estimulação da eliminação de substâncias tóxicas é feita através de substâncias com propriedades diuréticas, que têm a capacidade de aumentar o volume e reduzir a concentração da urina, ao inibirem a reabsorção de sódio e água ao nível do nefrónio. Depurar o fígadoSão vários os agentes prejudiciais à saúde a que estamos sujeitos diariamente (químicos que se encontram na água, na atmosfera, nos alimentos, etc.). Para além disso, o próprio organismo produz metabolitos que, se forem acumulados, são tóxicos.O fígado é a primeira linha de defesa contra os efeitos de muitas dessas substâncias tóxicas pois tem a capacidade de as metabolizar. Este processo é feito através da alteração da estrutura das moléculas, tornando-as menos tóxicas e mais fáceis de serem eliminadas.É importante estimular o bom funcionamento hepático, uma vez que, ao fazê-lo, há a estimulação da digestão das gorduras e redução da sua acumulação a nível hepático. Depurar o intestinoAssim como o fígado, também o nosso intestino fica intoxicado, nomeadamente, pelas escolhas alimentares que fazemos. O corpo fica sobrecarregado, desequilibrado e por isso é importante estimular o bom funcionamento dos intestinos através de substâncias com propriedades laxantes: ingestão de fibras e líquidos; através da lubrificação das paredes do intestino ou por estimulação do peristaltismo intestinal, favorecendo os seus movimentos. SaciedadeA saciedade é um processo de múltiplos fatores que tem início quando a comida chega ao estômago e começa a preencher o espaço. A distensão do órgão é então percebida pelos nervos que envolvem a parede estomacal e é comunicada, via nervo vago, ao tronco cerebral e hipotálamo, partes principais do cérebro que controlam a ingestão alimentar.Mas esse é apenas um dos sensores que o cérebro usa para dar início à sensação de saciedade. Ele também leva em consideração mais de 20 hormonas produzidas pelas células endócrinas do sistema digestivo, que, por sua vez, são estimuladas por nutrientes específicos.Como todos estes processos não são instantâneos, é reforçada a recomendação de se alimentar sem pressa, para que a ingestão seja interrompida quando suficiente.A sensação de saciedade é muito importante, em particular quando se procura controlar o peso. A saciedade pode ser estimulada com a ingestão dos alimentos corretos que têm a capacidade de estimular a libertação de hormonas que nos levam a um estado que nos ajuda a controlar o quanto comemos de forma mais racional. ReferênciasKaralis, K.P.; Giannogonas, P.; Kodela, E.; Koutmani, Y.; Zoumakis, M., Teli, T. (2009). Mechanisms of obesity and related pathology: linking immune responses to metabolic stress, FEBS Journal. 276, 5747-5754.Organização Mundial de saúde. URL: www.who.intHauser, C.; Benetti, M.; Rebelo, F.P. (2004) Weight loss strategies, Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, 6(1): 72-81.

MAIS

Entenda como o nosso corpo pode perder peso
Características da natureza feminina

Características da natureza feminina

A mulher, com todas as responsabilidades e papéis que desempenha na sua vida, deve conhecer-se melhor do que ninguém e cuidar de si!Vamos desvendar alguns dos aspectos principais da natureza feminina: fisionomia, saúde íntima e ciclos de vida. SISTEMA REPRODUTOR FEMININOO sistema reprodutor feminino é responsável pela produção das hormonas progesterona e estrógeno e também pela produção dos gâmetas femininos. Além disso, é nesse sistema que encontramos o útero, órgão em que ocorre o desenvolvimento do bebé durante a gestação.Devido à sua capacidade de comunicação com o exterior, é ponto de entrada para micro-organismos que podem provocar doenças, nomeadamente infeções ginecológicas, que são transmitidas, geralmente, durante as relações sexuais.Todos os fenómenos que ocorrem a nível reprodutor supõem a interação de várias hormonas e vários órgãos, nomeadamente o hipotálamo. O hipotálamo é responsável pela segregação de hormonas ou fatores de libertação que atuam na hipófise (localizada por baixo do hipotálamo) e estimulam a libertação de outras hormonas. O padrão de libertação de hormonas sexuais funciona por um mecanismo de feedback, sendo os estrogénios e a progesterona as principais hormonas envolvidas. CICLO MENSTRUALPor definição, o primeiro dia do ciclo menstrual é considerado o primeiro dia de hemorragia e termina no início da menstruação seguinte. Os ciclos menstruais variam entre 21 e 40 dias e divide-se em três fases: folicular, ovulatória e luteínica.Fase folicular (primeira fase): ao mesmo tempo que se dá a menstruação, por causa da descida das hormonas produzidas, aumentam as hormonas estimulantes dos ovários, as gonadotrofinas (sobretudo FSH). Por vezes, este início de ciclo, em que os ovários produzem menos hormonas é referido como fase folicular precoce ou inicial.Fase ovulatória: Quando o folículo atinge o tamanho adequado (chamando-se folículo de Graaf) dá-se a ovulação. A forma como este processo é despoletado é bastante complexa e depende de um equilíbrio entre várias hormonas. Uma subida da hormona LH faz com que o ovócito complete a sua maturação, rompendo o folículo, e sendo libertado na cavidade abdominal onde se dirige à trompa de Falópio. É esta hormona (LH) que é medida nos testes de urina para determinar a ovulação (testes de fertilidade), e a sua subida determina o início da fase lútea, ou segunda fase do ciclo menstrual. Nesta fase algumas mulheres podem sentir o que é comummente chamado de “dores menstruais”.Fase luteínica (segunda fase): após a ovulação (e até pouco antes desta), as células das paredes do folículo iniciam a produção de outra hormona, a progesterona. Nesta altura chamamos a este folículo pós-ovulatório o corpo lúteo ou corpo amarelo. Amarelo porque tem realmente aparência pigmentada amarela.A produção desta hormona (progesterona) leva a uma série de alterações no endométrio que melhor se podem descrever como “amadurecimento”, ao contrário do crescimento característico da fase folicular. Este amadurecimento permite a implantação (nidação) do potencial embrião, criando condições ótimas para o seu desenvolvimento inicial.Na menstruação, devido à redução dos níveis de estrogénios e progesterona, parte do endométrio solta-se. A hemorragia menstrual dura entre 3 a 7 dias e a sua duração média é de 5 dias, sendo que a mulher perde entre 14 g e 280 g de sangue (em média, 128 g). MENOPAUSAQuando uma mulher atinge uma idade entre os 40 e os 50 anos, o ciclo menstrual torna-se irregular e a ovulação deixa de ocorrer. Consequentemente, os ciclos menstruais cessam completamente. A menopausa é a ausência definitiva da menstruação.Este fenómeno ocorre dado que, com o passar do tempo, os ovários respondem cada vez menos à estimulação provocada pela hormona luteinizante e pela foliculoestimulante, segregadas pela hipófise. Consequentemente, os ovários segregam cada vez menos quantidade de estrogénios e de progesterona e a ovulação pára.A menopausa é especialmente conhecida pelos sintomas que causa na mulher. Muitas mulheres (cerca de 75%) queixam-se de afrontamentos, que são acessos de calor. Estes podem ser também seguidos de calafrios. A menopausa também provoca sintomas psicológicos e emocionais como a fadiga, irritabilidade, insónia e nervosismo causados pela diminuição dos estrogénios. Por vezes a mulher pode sentir enjoos, ter uma sensação de formigueiro e sentir os batimentos cardíacos. Também pode ocorrer incontinência urinária, inflamação na bexiga e vagina e secura vaginal. PROBLEMAS GINECOLÓGICOS E MENSTRUAISOs problemas ginecológicos são os relacionados com o aparelho reprodutor feminino. As suas causas são variadas, nomeadamente, infeções, lesões ou alterações hormonais. As perturbações menstruais mais frequentes são a vaginite e vulite, o Síndrome Pré-menstrual, a dismenorreia e os fibromas. Estas surgem devido ao controlo da menstruação ser feito através de um conjunto de interações complexas entre as hormonas. CONSELHOS PARA ATENUAR SINTOMASPara atenuar as variações nos níveis de estrogénios e progesterona e assim evitar sintomas tanto no síndrome pré-menstrual como também na fase da menopausa, aconselha-se a:Evitar a retenção de líquidos (reduzindo o consumo de sal)Reduzir a ingestão de açúcarReduzir o consumo de cafeína e álcoolIntroduzir mais hidratos de carbono na alimentaçãoSuplementar com Cálcio e MagnésioPraticar exercício físicoEvitar situações de stressRealizar exercícios de relaxamento ReferênciasManual Merck. URL: www.manualmerck.netSeeley, R.R.; Stephens, T.D.; Tate, P. Anatomia & Fisiologia, Lusodidacta, Lisboa, 2001.

MAIS

Quiz Sobre a Saúde Cardiovascular

Hoje comemora-se o Dia Mundial da Hipertensão. A hipertensão é a principal causa de doença cardiovascular, sendo que 40% da população portuguesa é hipertensa.O consumo excessivo de sal é uma das principais causas para o desenvolvimento desta patologia. No entanto, a pressão arterial elevada pode ser prevenida e tratada.Cuidar da saúde do coração é fundamental para evitar problemas de hipertensão. A Vitaceutics propõe que faça este pequeno quiz para ajudar a perceber se tem a sua saúde cardiovascular em dia. (Tempo médio de resposta: 40 segundos) 1. Na sua família há histórico de problemas cardíacos?( ) Sim ( ) Não 2. Tem o hábito de fumar?( ) Sim ( ) Não 3. Tem problemas de pressão alta?( ) Sim ( ) Não 4. Costuma ingerir álcool com frequência?( ) Sim ( ) Não 5. Considera-se uma pessoa sedentária?( ) Sim ( ) Não 6. Os seus níveis de colesterol estão altos?( ) Sim ( ) Não 7. Está acima do peso?( ) Sim ( ) Não 8. A sua rotina no trabalho e em casa é muito stressante?( ) Sim ( ) Não  9. Tem o costume de ingerir muitos alimentos processados?( ) Sim ( ) Não 10. A sua alimentação contém muitos pratos fritos e gordurosos?( ) Sim ( ) Não  11. Tem diabetes?( ) Sim ( ) Não  12. Na sua alimentação, ingere muito sal?( ) Sim ( ) Não 13. Costuma dormir mal?( ) Sim ( ) Não  14. Usa algum medicamento sem prescrição médica?( ) Sim ( ) Não 15. Faz ou já fez uso de drogas?( ) Sim ( ) Não Maioria “sim”ATENÇÃO!Se marcou “sim” em oito ou mais respostas, é preciso ficar atento aos sinais de alerta do seu corpo, isso porque os problemas cardíacos, colesterol elevado, fumo, pressão alta, álcool, sedentarismo, diabetes e stress também são fatores de risco do AVC.Assim, tente mudar os maus hábitos e manter uma vida mais saudável. Faça uma alimentação equilibrada, pare de fumar, pratique algum exercício físico e tente relaxar e ter momentos de lazer. E não se esqueça: vá ao médico regularmente. Maioria “não”TRANQUILO!Se marcou “não” em oito ou mais respostas, é sinal de que o seu organismo aparenta estar saudável. Mesmo assim, é preciso fazer exames e consultas frequentemente para manter a saúde em dia e o corpo protegido. Por isso, continue com os cuidados diários, pratique atividades físicas, invista numa alimentação saudável e mantenha uma boa qualidade de vida. A fim de evitar as doenças cardiovasculares e o risco de sofrer um AVC, fique ainda com algumas dicas para prevenir os factores de risco que podem prejudicar a sua saúde cardiovascular:• Dê preferência a uma dieta rica em frutas, verduras e legumes;• Invista em formas de preparação mais saudáveis, como grelhados e assados;• Diminua a quantidade de temperos e sal;• Faça refeições moderadas, de 3 em 3 horas, e beba bastante líquido, pelo menos 2 litros de água por dia;• Leia os rótulos atentamente e saiba que nutrientes estão presentes no alimento antes de colocá-lo no prato.

MAIS

Quiz Sobre a Saúde Cardiovascular
Como estimular a memória?

Como estimular a memória?

Sabia que uma das principais causas para a falta de memória é a ansiedade? É verdade, principalmente em jovens, pois momentos de stress causam a ativação de muitos neurónios e regiões do cérebro, o que o torna mais confuso e dificulta a sua atividade, mesmo que para uma tarefa simples, como lembrarmo-nos de algo.Contudo, a perda de memória também pode estar associada a diversas condições como a depressão, alterações do sono, uso de remédios ou doenças neurológicas, como doença de Alzheimer.Mas… como podemos melhorar isto? Alterar os hábitos e nutrir o cérebro é a resposta!Avaliar a qualidade e o tempo do sono é fundamental, pois um descanso reparador é extremamente importante para melhorar a memória. Quantas horas devemos dormir? Isto vai depender da necessidade específica da pessoa. Uma sesta até vinte minutos depois de almoço também favorece as funções cognitivas.Fazer exercício moderado e afastado da hora de deitar, fazer um jantar leve (como sopa e fruta) e não estimular demasiado o cérebro antes de dormir (como ver televisão, jogar computador), também são conselhos que deve seguir.Outra forma muito interessante de melhorar a memória é fazer as atividades diárias de uma forma diferente da habitual, pois assim estimulamos novas conexões neurais e aumentamos a plasticidade cerebral. Por exemplo: ir para o trabalho utilizando um itinerário diferente, lavar os dentes com a mão contrária à habitual, fazer refeições diferentes, etc. Ou seja, estimular novas sensações e obrigar o cérebro a sair do chamado “piloto automático”. Dra. Ana Tavares, Farmacêutica e Consultora em Homeopatia e Nutracêuticos

MAIS

Os benefícios do Sol

Protegermo-nos do Sol é importante, mas não devemos esquecer que a exposição solar é fundamental e benéfica para a saúde. Deve é ser feita de um modo equilibrado e nas adequadas horas do dia.A síntese de vitamina D feita pelo organismo, depende de fatores geográficos, culturais e estilo de vida. Devem ser promovidas atividades diárias ao sol, de preferência, com exposição de braços e pernas. A vitamina D é importante na prevenção de doenças degenerativas, metabólicas e fraturas ósseas. Além disso, também está demonstrada a sua ação benéfica nas funções cognitivas.Ao nível do sistema nervoso, a influência da luz solar que é recebida pelo nervo ótico que influencia a regulação da glândula pineal. A regulação hormonal através deste processo é extremamente importante, por exemplo, no humor.Que soluções naturais podemos utilizar na prevenção do envelhecimento da pele e tratamento após excessiva exposição solar?- Beta-caroteno: uma pró-vitamina essencial para a pele. Prepara a pele para a exposição solar e facilita o bronzeado. Tem uma função antioxidante e reforça a resistência da epiderme às agressões exteriores. - Óleo de fígado de bacalhau: rico em ómega 3, vitamina D e vitamina A. O ómega 3 nutre as membranas celulares e a vitamina A é um reconhecido regenerador de mucosas e pele. Este suplemento pode também ser dado a crianças. - Ingestão de antioxidantes como o resveratrol, selénio e vitamina E ajudam a prevenir o envelhecimento da pele. - Vitamina C: participa na formação do colagénio. O colagénio é fundamental para a reparação e crescimento de tecidos no corpo humano.Drª Ana Tavares, Farmacêutica e Consultora em Homeopatia e Nutracêuticos

MAIS

Os benefícios do Sol
Como prevenir as alergias?

Como prevenir as alergias?

A primavera e o bom tempo trazem consigo coisas boas como o desabrochar das flores, o sol radiante… mas traz também as alergias. Nesta época o índice de pólen aumenta e despoleta os sintomas tão incomodativos típicos de uma reação alérgica. Mas não são somente os pólenes que provocam as alergias: os ácaros, fungos, pó, picadas de insetos, alimentos e até medicamentos podem desencadear uma reação alérgica.Existem alergias respiratórias e alimentares. Nos períodos de chuva, o número de alergénios e a sua concentração no ar diminui. A gravidade dos sintomas aumenta com o vento, temperaturas elevadas e no tempo seco. As principais fontes de alergénios são de origem vegetal e animal:- Origem vegetal não alimentar: pólen e látex - Origem vegetal alimentar: cereais, frutos secos, frutos frescos e leguminosas - Origem animal não alimentar: ácaros, fungos, animais domésticos - Origem animal alimentar: leite de vaca, ovo, peixe e crustáceos Fique com algumas medidas que podem ser adotadas para a prevenção ou minimização dos sintomas das alergias, nomeadamente as respiratórias:- Conhecer os boletins de polinização - Minimizar a atividade no meio ambiente exterior nas fases de maior libertação de pólen. - Usar filtros de partículas de grande eficiência nos automóveis - Em casa, deve optar por superfícies facilmente laváveis. Preferir paredes lisas e pintadas, evitar cortinas, tapetes, remover peluches, livros entre outros. - Aspirar a casa frequentemente e limpar o colchão - Preferir lençóis, edredões e almofadas de fibras sintéticas para permitirem lavagens frequentes e a altas temperaturas, superiores a 60ºC. - Controlar a humidade (para reduzir o crescimento dos ácaros e fungos) e a temperatura (evitar aquecimento excessivo ou as ventoinhas que promovem um movimento nocivo de partículas no ar ambiente). - Evitar ter animais domésticos ou confiná-los a áreas restritas da habitação, evitando o quarto onde dorme. - Reduzir o armazenamento prolongado de alimentos como cereais, frutas, batatas e outros vegetais - Utilizar sistemas de filtração e purificação do arDr. Ricardo Leite, Farmacêutico

MAIS

Dicas para um sono tranquilo

O sono é uma necessidade fisiológica que nos permite restaurar o organismo e conservar energia, permitindo o restabelecimento do nosso equilíbrio físico e emocional. As pessoas com um sono saudável usufruem de benefícios nos aspetos biológicos, psicológicos, emocionais e sociais. Estas têm maior satisfação e rendimento profissional/escolar e também nas suas atividades de lazer, o que contribui para uma boa qualidade de vida. INSÓNIAS: COMO PREVENIR? A insónia é um distúrbio persistente que prejudica a capacidade de uma pessoa adormecer ou, ainda, de permanecer a dormir durante toda a noite. A ocorrência de insónia pode ser uma consequência de várias situações: perturbações emocionais e físicas, consumo de medicamentos, envelhecimento, jet leg, etc… DICAS ÚTEIS PARA UN SONO TRANQUILO: - Ter horários regulares para deitar e acordar - Ir para a cama apenas na hora dormir - Ter um ambiente para adormecer adequado: limpo, escuro, sem ruídos e confortável - Não ingerir álcool ou café, chás estimulantes (chá verde ou preto por ex.) e refrigerantes, próximos do horário de dormir - Fazer jantares leves e em horário regular e adequado - Realizar atividades repousantes e relaxantes (como ler) antes de ir dormir - Ser ativo física e mentalmente. SOLUÇÕES NATURAIS Existem vários estudos que indicam que as pessoas que dormem menos horas têm uma maior tendência para: a obesidade, diabetes, ansiedade, depressão e outras perturbações psiquiátricas. Existem plantas medicinais e suplementos alimentares que podem contribuir de forma determinante para um sono tranquilo e reparador. De entre as várias substâncias, destacam-se a Valeriana, Passiflora e a Melatonina. Dr. Ricardo Leite, Farmacêutico

MAIS

Dicas para um sono tranquilo
Regras para um emagrecimento saudável

Regras para um emagrecimento saudável

Um processo de emagrecimento é sempre longo e deve ter por base um controlo rígido de vários hábitos para que seja sustentado, eficaz e saudável. BENEFÍCIOS DO EMAGRECIMENTO- Prevenir e/ou reduzir o excesso de peso e a obesidade através da reeducação alimentar - Controlo da ingestão de calorias total para a gestão do peso corporal. - Aumentar a atividade física e reduzir o sedentarismo - Manter um balanço calórico apropriado durante todas as fases da vida – infância, adolescência, adulta, gravidez, lactância e terceira idade. CONSELHOS PARA PERDER GORDURA- Reduzir o consumo de sal a menos de 2,3 g por dia. Para pessoas com idade superior a 51 anos, hipertensos, diabéticos ou doentes renais crónicos, o número baixa para as 1,5 g. - Consumir menos de 10% de calorias dos ácidos gordos saturados e substituí-los por ácidos gordos monoinsaturados e polinsaturados. - Consumir menos de 300 mg, por dia, de colesterol dietético. - Diminuir ou eliminar o consumo de gorduras trans, presentes nos alimentos processados, fast food, lacticínios… - Reduzir a ingestão de calorias de gorduras sólidas e açúcares adicionados. - Limitar o consumo de alimentos que contenham grãos refinados - Reduzir o consumo de álcool: até uma bebida por dia numa mulher e duas bebidas por dia no homem adulto. Carla Santos, Farmacêutica

MAIS

A Retenção de Líquidos

A retenção de líquidos, ou seja, a acumulação excessiva de água no organismo, resulta do excesso da produção, da retenção exagerada ou da insuficiente drenagem do líquido intersticial (existente entre as células), causando inchaço.CAUSAS PARA A RETENÇÃO DE LÍQUIDOSAumento da pressão arterial, alterações hormonais, insuficiência da tiróide, utilização de corticóides, etc. A utilização excessiva do sal é também uma das maiores causas. Não obstante, a utilização excessiva do sal (ou seja, sódio) na alimentação assume-se como um fator determinante, uma vez que, com o intuito de manter a homeostase, o organismo vai absorver mais água (a chamada retenção exagerada).A água representa cerca de 70% do peso do corpo de um adulto. O rim é o órgão determinante para o equilíbrio hídrico. Para manter este equilíbrio é essencial manter uma hidratação adequada. Recomenda-se a ingestão de 1,5 a 2 litros de água por dia para proteger-se contra a desidratação e também contra a formação de cálculos renais. PROCESSO DE DRENAGEM Apesar da eficácia dos processos de metabolização e excreção das substâncias do nosso organismo, existem uma série de fatores do nosso dia-a-dia que prejudicam esse processo:- má alimentação - sedentarismo - poluição - tabaco - exposição constante a agentes agressivos ​Esses fatores, que expõem constantemente o nosso organismo a resíduos e toxinas, vão promover uma acumulação progressiva de substâncias tóxicas que não foram eliminadas, levando a que o nosso corpo sofras as consequências. Por isso, é tão importante promover a depuração do nosso organismo! SINAIS DE ALERTA A acumulação excessiva destas substâncias pode revelar-se por manifestações como a fadiga, digestões difíceis, perda de apetite, dificuldade em dormir, astenia. SOLUÇÕES NATURAIS Bétula: - Afeções urinárias e urolitíase - Ação diurética - Adjuvante no tratamento do reumatismo - Evita a formação de pedra nos rins e bexiga Cavalinha: - Reminelarizante - Tonificante - Aumenta as defesas imunitárias - Diurética Dr. Ricardo Leite, Farmacêutico

MAIS

A Retenção de Líquidos
Infeções urinárias: prevenir e combater

Infeções urinárias: prevenir e combater

As Infeções urinárias são um problema que afeta principalmente as mulheres e pode aparecer em qualquer idade. Existem várias causas, mas podemos dar algumas dicas que vão ajudar na sua prevenção. DICAS DE PREVENÇÃOCuidados de higiene íntima (usar um gel adequado para a flora vaginal)Roupa interior adequada, preferencialmente de algodão e com uma base larga para evitar fricçõesUma boa alimentaçãoReposição da flora orgânicaUso de algumas plantas ​ALIMENTAÇÃO e HIDRATAÇÃO Dar preferência aos alimentos frescos: vegetais e verduras, como por exemplo: espargos, pepino, aipo, salsa e beterraba. Frutas ricas em vitamina C, como mirtilos, papaia e uvas vermelhas. Ingerir água ao longo dia é fundamental, quer na prevenção, quer no estado agudo da situação. Os líquidos ajudam a depurar as vias urinárias. Deve ingerir, pelo menos, 1.5 L por dia. Tomar um copo de água fervida com algumas gotas de limão, duas vezes por dia, também pode ajudar. REPOR A FLORA ORGÂNICA A reposição da flora orgânica é também muito importante. Pode fazê-lo através de alimentos fermentados que contêm L. acidophilus, L. gasseri, L. reuteri. Como por exemplo: Chucrute, Miso, Iogurte natural, Kefir, Kombucha... AS PLANTAS O Hibisco (a planta mais aconselhada) tem resultados comprovados, pode ser adquirido em cápsulas e tomado duas vezes ao dia num estado agudo. O Arando também é uma outra possibilidade a considerar. Para tomar ao longo do dia, recomendamos as plantas Barbas de Milho, UtiRose™, Cavalinha e Malvas (que pode ser tomado em chá). Drª Ana Tavares, Farmacêutica e Consultora em Homeopatia e Nutracêuticos

MAIS

Dores de cabeça: aprenda a distingui-las

Comummente são chamadas “dores de cabeça”, mas o seu termo técnico é cefaleias. Na verdade existem vários tipos de cefaleias que são provocadas por diferentes causas e que requerem também tratamentos diferentes. O seu denominador comum? A dor.As dores de cabeça dividem-se em primárias e secundárias. As primárias não resultam de outra doença. As dores de cabeça de origem secundária são as que surgem associadas a outras doenças, como a sinusite por exemplo e a alterações hormonais femininas próprias da menstruação, da gravidez e da menopausa. DORES DE CABEÇA PRIMÁRIAS:Cefaleias de tensãoAs cefaleias de tensão são as mais comuns e ocorrem devido a uma tensão muscular que afeta ambos os lados da cabeça, pressionando como se se usasse um chapéu demasiado apertado. As cefaleias de tensão estão associadas a situações de stress, cansaço, sono insuficiente ou não reparador e ansiedade.EnxaquecasAs enxaquecas afetam entre 10 a 15% da população adulta, sobretudo mulheres. A dor da enxaqueca é intensa, latejante (pulsátil), unilateral e frequentemente incapacitante. Podem ser desencadeadas por estímulos visuais, cheiros intensos, tensão emocional/stress, esforço físico, entre outros.Cefaleias em salvaAs cefaleias em salva são as mais raras e afetam mais o sexo masculino. A dor é intensa e é sentida em redor de um dos olhos, acompanhada de outros sintomas como lacrimejo, congestão ou corrimento nasal. PREVENÇÃOExistem várias dicas que podem ajudar a melhorar os sintomas e a aliviar as dores de cabeça. A prevenção é, nestes casos, a melhor solução. Fique com alguns conselhos:- Dormir bem e o número de horas suficiente, de forma confortável- Praticar exercício físico com regularidade- Alimentação equilibrada (evitar alimentos como queijo, chocolate e fritos)- Evitar saltar refeições, sobretudo o pequeno-almoço- Relaxar nos momentos de maior tensão Carla Santos, Farmacêutica

MAIS

Dores de cabeça: aprenda a distingui-las
Os 5 aliados no combate à dor crónica

Os 5 aliados no combate à dor crónica

A Dieta Mediterrânica inclui muitos alimentos com poder anti-inflamatório e, por isso, é fundamental adotar esta dieta no combate à dor crónica.Fique a conhecer os 5 principais alimentos aliados no combate à dor crónica:1. Tomate – uma fruta (sim fruta, não legume) muito rica em licopeno (entre outros carotenóides, como a luteína), que contém forte ação antioxidante, e vitaminas do complexo A e B. Possui ainda muitos minerais importantes, como o fósforo e o potássio, além de ácido fólico, cálcio e frutose. 2. Azeite – os egípcios já o usavam há 6000 anos e era um dos principais produtos comercializados pelos fenícios. Rico em gorduras monoinsaturadas, o azeite ajuda a reduzir o mau colesterol (LDL), mantendo o nível do bom colesterol (HDL). Além disso, permite bloquear a produção de elementos químicos que induzem processos inflamatórios no organismo. Para usufruir de todos os seus benefícios, o azeite deve ser consumido cru. 3. Vegetais de folha verde – são alimentos que oferecem inúmeras vitaminas e minerais essenciais para a saúde como cálcio, ferro e antioxidantes, que previnem os danos oxidativos provocados pelos radicais livres. Existem vários tipos: espinafres, brócolos, rúcula, agrião, couves, espinafres, … 4. Peixes gordos – contêm um elevado teor de Ómega-3, ácidos gordos essenciais (apenas obtidos através da alimentação), que ajuda a reduzir os processos inflamatórios.A sardinha, a cavala, o arenque, o salmão ou o atum são alguns exemplos. 5. Frutos oleaginosos – fonte de gordura benéfica, proteína e fibra, estes frutos são ricos principalmente em Ómega 3 e 6, vitaminas do complexo B e minerais. Exemplo: nozes, avelãs, amêndoas, amendoins. Têm um elevado poder antioxidante. Por Joana Correia, Nutricionista

MAIS

As Vitaminas na Saúde

As vitaminas são nutrientes fundamentais ao crescimento e à manutenção do organismo. Como não temos a capacidade de as produzir, é necessário assegurar o seu aporte através da alimentação e suplementação.Apesar do organismo necessitar de vitaminas em quantidades muito pequenas, se houver défices, há maior probabilidade de uma pessoa desenvolver determinadas doenças, como por ex., o escorbuto associado à falta de vitamina C ou o raquitismo, por falta de vitamina D ou cálcio.O estilo de vida agitado leva a hábitos alimentares errados, com o aumento do consumo de alimentos pouco nutritivos, o que leva a carências em vitaminas e minerais no organismo. Para manter o equilíbrio entre as vitaminas e os minerais, é fundamental fazer uma boa alimentação e suplementação específica, de acordo com as necessidades nutricionais.As VitaminasAs vitaminas são nutrientes essenciais ao crescimento e à manutenção de um organismo vivo. Cada vitamina tem uma função própria e específica no organismo, não sendo possível compensar a falta de uma com um maior aporte de outra.Vitamina AA vitamina A é essencial para o desenvolvimento do organismo, tendo um papel fundamental no crescimento e desenvolvimento do tecido ósseo, para o sistema imunitário e na diferenciação de tecidos. Também é fundamental para a manutenção da visão, por estar envolvida na síntese de rodopsina na retina, necessária para a visão noturna.Vitamina DA vitamina D encontra-se no organismo sob a forma de duas biomoléculas: o colecalciferol (vitamina D3) e o ergocalciferol (vitamina D2). A sua principal fonte é a radiação UV, que ativa a sua produção a partir do 7-dehidrocolesterol.A sua função no organismo relaciona-se com a imunidade, reprodução, secreção de insulina e diferenciação das células da epiderme. A vitamina D está envolvida no transporte ativo de fosfato no intestino e na homeostase do cálcio: intervém nos processos de fixação de cálcio no osso e no aumento da reabsorção renal destes minerais.Vitamina ENo organismo, a vitamina E atua enquanto antioxidante, ajudando a proteger as células dos danos causados pelos radicais livres. Desta forma, previne a peroxidação lipídica dos ácidos gordos polinsaturados e protege as membranas celulares da ação dos radicais livres. O corpo também precisa de vitamina E para estimular o sistema imunitário, além de ajudar a dilatar os vasos sanguíneos e a manter a coagulação sanguínea normal.Vitaminas do Complexo BAs vitaminas do complexo B são um conjunto de oito vitaminas com diferentes nomes e características:Vitamina B1- TiaminaVitamina B2 - RiboflavinaVitamina B3 - NiacinaVitamina B5 - Ácido PantoténicoVitamina B6 - PiridoxinaVitamina B7 - BiotinaVitamina B9 - Ácido FólicoVitamina B12 – Cianocobalamina As vitaminas do complexo B são muito importantes na síntese de aminoácidos e, consequentemente, de proteínas.Por outro lado, são também fundamentais ao bom funcionamento do Sistema Nervoso Central, com grande influência na concentração e na função psicológica. Contribuem para a redução do cansaço e da fadiga e no que diz respeito às células sanguíneas, estas vitaminas são fundamentais e frequentemente utilizadas no tratamento da anemia, uma vez que ajudam a produzir novas células hemoglobina.As vitaminas do complexo B são também essenciais para a formação de novos tecidos: o ácido fólico (Vitamina B9) é indispensável durante a gravidez e a Biotina para o cuidado necessário para unhas e cabelos fortes e saudáveis.Vitamina CNo organismo, a vitamina C atua como antioxidante, ajudando a proteger as células dos danos causados pelos radicais livres, que danificam o DNA.A vitamina C também é importante para a síntese de colagénio, envolvido no crescimento e a reparação de tecidos danificados. Além disso, a vitamina C melhora a absorção do ferro e melhora o funcionamento do sistema imunitário, aumentando a capacidade do corpo de se defender. Referências:Fundación Dieta Mediterránea. URL: http://dietamediterranea.com/http://umm.edu/health/medical/altmedhttp://www.nlm.nih.gov/medlineplus/druginfo/herb_All.htmlhttp://ods.od.nih.gov/factsheets/list-all/

MAIS

As Vitaminas na Saúde